O câncer colorretal é caracterizado pela presença de tumores malignos que se desenvolvem no intestino grosso, formado pelo cólon e reto.

Sendo o tumor mais dominante do aparelho digestivo, é o terceiro tipo de câncer mais recorrente no mundo.

As causas para o câncer de cólon e reto ainda são desconhecidas, mas há fatores de risco que contribuem para o aumento das chances de desenvolvimento da doença.

Quais são os fatores de risco para o câncer colorretal?

Ilustração do organismo

Veja quais são os principais fatores de risco que levam ao surgimento do câncer colorretal:

Alimentação e estilo de vida

  •   Sedentarismo;
  •   Obesidade;
  •   Consumo de bebidas alcóolicas;
  •   Tabagismo;
  •   Dietas pobres em fibra e pobres em gorduras e calorias.

Doenças inflamatórias do Intestino

Fatores de risco que não podem ser controlados:

  •   Pessoas com mais de 50 anos;
  •   Histórico familiar de câncer colorretal e/ou pólipos intestinais;
  •   Etnia (pessoas da raça negra possuem maior incidência de câncer de cólon e reto);
  •   Diabetes tipo 2;
  •   Exposição ocupacional à radiação ionizante (especialmente profissionais da radiologia).

Como é feito o diagnóstico do câncer de intestino?

Ilustração de médicos e intestino

O diagnóstico pode ser feito através da colonoscopia, exame preventivo de rotina feito para examinar o intestino grosso e reto.

Além desse exame, a detecção precoce também pode ser feita a partir da pesquisa de sangue oculto nas fezes e retossigmoidoscopia.

Evitar os fatores de risco e realizar os exames de rotina são atitudes que funcionam como medidas preventivas a esse tipo de câncer.

Quando iniciar o rastreamento do câncer colorretal?

Quais são os tratamentos para o câncer de cólon e reto?

Médica trabalhando

O tratamento para o câncer colorretal pode ser realizado através de cirurgia, quimioterapia e radioterapia.

A escolha do tratamento depende de três fatores:

  • Se a doença é localizada ou já está avançada;
  • Localização dos tumores;
  • Presença ou não de sintomas.

Após o diagnóstico, o paciente precisa realizar alguns exames para verificar qual é o estágio da doença e, a partir disso, decidir qual é o tratamento mais adequado para ele.

 

Para mais informações e conteúdos relacionados a saúde do intestino e a área da coloproctologia, siga o meu perfil no Instagram: @dracamilacoloproctologista

Sobre o(a) autor(a): Dra. Camila Medeiros

Dra. Camilla Medeiros é médica coloproctologista em Natal/RN com especialização em Saúde Intestinal e Câncer de Cólon.

Artigos relacionados

Voltar para artigos