É bem verdade que a prisão de ventre causa bastante incômodo e mal-estar, mas por que será que mulheres são as que mais sofrem com a constipação intestinal?

Neste artigo, trago algumas informações importantes sobre essa predisposição e como podemos evitar a prisão de ventre. Confira!

 

O que é prisão de ventre?

 

O bom funcionamento intestinal é algo muito particular de cada pessoa, variando de indivíduo para indivíduo. Por isso, não há definição específica do que seria uma função intestinal normal.

Entretanto, existem sintomas englobam bem o que é a prisão de ventre, sendo eles:

  • Dificuldade de defecar, exigindo um grande esforço na hora de eliminar fezes;
  • Sensação de fezes presas dentro do corpo;
  • Dores abdominais e dificuldade para eliminar gases;
  • Distensão e desconforto abdominal;
  • Eliminação de fezes em quantidade menor do que o normal;
  • Fezes ressecadas ou muito duras.

 

Mas as mulheres têm mais episódios de constipação intestinal, por quê?

 

Os motivos podem ser inúmeros, sendo o principal a influência dos hormônios. Durante a menstruação, por exemplo, é muito comum que o funcionamento do intestino sofra alterações.

Já na menopausa, a mulher pode ter episódios de prisão de ventre agravados, devido às mudanças de humor e alterações no cortisol e estrogênio.

O hábito de não obedecer ao desejo de ir ao banheiro também pode influenciar. Afinal, guardar fezes no intestino durante muito tempo gera o ressecamento delas.

Com isso, pode dificultar a eliminação das fezes e facilitar ferimentos do ânus pelo esforço excessivo. Além disso, pode influenciar diretamente no aparecimento de hemorroidas.

 

Como evitar a prisão de ventre?

 

O tratamento para a prisão de ventre consiste na mudança de hábitos. Não existe remédio milagroso que mantenha o intestino funcionando perfeitamente todos os dias, certo?

Sendo assim, alimentar-se bem, com ingestão de fibras e líquidos, bem como fazer exercícios físicos diariamente, é fundamental.

Entretanto, caso os sintomas sejam persistentes e o desconforto para evacuar e a constipação sejam uma rotina, é preciso buscar orientação médica com a(o) Coloproctologista.

Assim, poderá ser realizado um diagnóstico assertivo, encontrando a origem do problema e iniciando um tratamento assertivo.

 

Esse conteúdo respondeu as suas dúvidas? Se gostou ou tem alguma dúvida, deixe um comentário!

Para mais informações, siga o meu perfil no Instagram: @dracamilacoloproctologista

Sobre o(a) autor(a): Dra. Camila Medeiros

Dra. Camilla Medeiros é médica coloproctologista em Natal/RN com especialização em Saúde Intestinal e Câncer de Cólon.

Artigos relacionados

Voltar para artigos