Devido ao preconceito e aos diversos tabus que envolvem o procedimento, tanto homens, como mulheres, ainda têm vergonha ou receio de procurar um médico especialista para fazer o Exame de Toque Retal. Apesar de já haver uma maior conscientização sobre sua importância, especialmente no diagnóstico precoce do Câncer de Próstata, muitos pacientes deixam de buscar esse importante meio de prevenção e cuidado com a saúde.

Por essa razão, é ainda mais importante entender as razões pelas quais ele é feito, como funciona e por que é indispensável realizá-lo regularmente.

Quer saber mais sobre o que é e quando fazer o exame de toque? Leia este artigo até o fim! Aqui você vai encontrar:

  • O que é e para que serve o exame de toque real
  • A prevenção é o melhor tratamento

O que é e para que serve o exame de toque retal

Junto ao exame de sangue PSA (Antígeno Prostático Específico), o exame de toque retal é o principal método para diagnosticar e tratar precocemente o câncer de próstata.

Mas, além dessa doença, que é mais popularmente associada ao procedimento, principalmente durante o Novembro Azul, o toque retal também é fundamental para diagnosticar problemas do reto e do ânus, como fissuras, fístulas, hemorroidas e cânceres do reto e do canal anal.

De forma geral, o procedimento é bastante simples e rápido: em uma posição confortável para o paciente, o médico introduz o dedo indicador no canal anal do paciente e realiza a palpação da próstata, buscando identificar a presença, ou não, de nódulos ou outras alterações.

O exame dura poucos minutos e é indolor, podendo haver apenas um leve incômodo, que é atenuado com o uso de géis lubrificantes. 

A prevenção é o melhor tratamento

Exame de toque retal

No Brasil, o Câncer de Próstata é o segundo tipo mais comum entre os homens, especialmente naqueles com idade acima dos 50 anos, e é responsável por 10% de todas as mortes provocadas por câncer em pacientes do sexo masculino.

Além dele, o Câncer Colorretal também merece sua atenção: segundo dados do Instituto Nacional de Câncer (Inca), esse é o terceiro tipo de tumor mais frequente em homens e o segundo entre as mulheres – o que reforça a realização do procedimento, junto à colonoscopia, por ambos os sexos.

Ao fazer o exame de toque, é possível detectar, antes mesmo que alguma alteração seja apontada no exame de sangue, a presença de formações irregulares no órgão e outros sinais sugestivos de câncer. E, quanto mais cedo for feito o diagnóstico, mais chances de sucesso terá o tratamento.

Portanto, deixe os tabus e preconceitos de lado e priorize sua saúde! Se você tem mais de 45 anos ou histórico familiar de câncer, agende uma consulta com um especialista e realize o exame de toque retal anualmente.

Ficou alguma dúvida? Deixe a sua pergunta nos comentários ou entre em contato!

Siga também o meu perfil no Instagram para ver mais conteúdos e informações úteis para a sua saúde.

Até o próximo!

Sobre o(a) autor(a): Dra. Camila Medeiros

Dra. Camila Medeiros
Dra. Camilla Medeiros é médica coloproctologista em Natal/RN com especialização em Saúde Intestinal e Câncer de Cólon.

Artigos relacionados

Voltar para artigos