A ignorância gera confiança exagerada. O que isso significa? Que estamos mais propensos a cometer erros quando não conhecemos os riscos e os métodos de prevenção para evitá-los.

A falta de informação quando falamos de saúde é um perigo. E hoje este é um problema sério de saúde pública. As fake news relativas às campanhas de vacinação são uma prova disso.

De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS) em 2019, um dos 10 maiores desafios de saúde pública global era a “hesitação em relação às imunizações”. Isso demonstra falta de conhecimento sobre os métodos e processos científicos envolvidos na prevenção de doenças e infecções.

Muitos casos, pouca informação

Ilustração de casal de homens LGBTQIA+

Eu sou médica coloproctologista e conheço casos de pessoas que, por causa da falta de informação, deixaram de buscar ajuda profissional após os primeiros sintomas. Resultado? Agravamento de problemas que seriam facilmente evitáveis e/ou tratáveis.

Alguns desses casos envolvem a comunidade LGBTQIA+. A educação sexual, por exemplo, é praticamente inexistente nas escolas brasileiras e quando está presente, é focada nas relações entre pessoas cis e heterossexuais. 

Uma grande parcela da população fica de fora dos debates e informações sobre proteção, ISTs, doenças orificiais, técnicas de prevenção… O que nós podemos fazer a respeito?

Medo de médico(a)? Deixe isso pra lá!

GIF de mulher levando susto

A sua saúde é uma prioridade. 

O medo, em muitos casos, envolve a desinformação por não saber o que é realizado em uma consulta. Em outros, o medo é do diagnóstico. Pense bem: isso faz sentido?

Quanto antes você começar a cuidar da sua saúde, melhores serão os resultados. Esperar que a situação fique insustentável pode ser um caminho sem volta!

 

Leituras recomendadas:

Desinformação faz mal à saúde: Volume 1 — Destinado ao público LGBTQIA+

Pensando nisso, desenvolvi um e-book destinado a um dos públicos que mais carecem de informações corretas sobre prevenção e coloproctologia.

Além de reunir dados de fontes seguras como Ministério da Saúde e Instituto Nacional de Câncer (INCA), optei por utilizar uma linguagem acessível. Assim nós garantimos que essas informações podem chegar a mais pessoas.

Banner do ebook de Dra. Camila Medeiros.

Estes problemas citados anteriormente são muito mais comuns do que você imagina! Baixe o livro e saiba mais sobre este assunto!

Se curtir, compartilhe o meu site com seus amigos e amigas. 

Lembre-se: quanto mais informação, melhor para você e para o mundo!

Sobre o(a) autor(a): Dra. Camila Medeiros

Dra. Camilla Medeiros é médica coloproctologista em Natal/RN com especialização em Saúde Intestinal e Câncer de Cólon.

Artigos relacionados

Voltar para artigos