É normal ter dúvidas a respeito da primeira consulta com a coloproctologista ou proctologista. Para responder estes questionamentos, resolvi esclarecer como é o procedimento inicial no consultório médico.

Desinformação

É compreensível, mas não é justificável, que ainda ocorra tanto preconceito a respeito das consultas com o profissional de coloproctologia. 

Devido à imagem negativa exposta em programas de humor e “conversas de bar”, muitas pessoas têm medo de procurar os cuidados adequados para sua própria saúde.

Especialmente para os homens, isso pode ser ainda mais difícil, pois há uma crença (errada, vale destacar) de que o exame de toque, por exemplo, “afeta ou diminui a masculinidade”. Isso não é verdade.

O exame proctológico é destinado a todas as pessoas (não importa o gênero) e é essencial para evitar dezenas de doenças e sintomas que afetam gravemente a qualidade de vida.

Independente de fazer ou não parte de um grupo de risco, todas as pessoas podem ser acometidas de problemas de saúde.

Portanto, precisamos combater a desinformação. Se você, leitor(a), ouvir alguma conversa com esse viés, faça sua parte combatendo este preconceito: explique que todas as partes do corpo precisam ser examinadas e que a desinformação pode levar à morte!

A primeira consulta com a coloproctologista

Ilustração colorida de uma mulher visitando um médico.

Esta é a sua primeira vez no consultório de um(a) coloproctologista? Não tem problema, vou explicar como funciona o processo na primeira consulta.

Análise inicial e conversa

Antes de tudo, é realizada uma análise detalhada a respeito do paciente, histórico de saúde e condições no momento da consulta. 

  1. Você faz parte de algum grupo de risco? 
  2. Você tem sintomas que trouxeram você ao consultório? Como você está se sentindo?
  3. Quais são os seus hábitos de vida?
  4. Você tem doenças anteriores ou crônicas?
  5. Há um histórico familiar de doenças no reto, ânus e/ou intestino? 
  6. Como é a sua rotina e ritmo intestinal?

Exame físico

Na primeira consulta também são realizados alguns exames para obter mais informações sobre a sua saúde. 

Não se preocupe, tudo será feito com o seu consentimento. Se houver qualquer tipo de incômodo ou dor, você pode interromper o exame. É possível, até mesmo, remarcar os exames em alguns casos específicos.

  1. Exame geral: com foco na região abdominal, o exame também é realizado em outras áreas do corpo para identificar problemas não relacionados com o motivo da consulta.
  2. Exame externo: é verificada a aparência da área do ânus e períneo (área entre o ânus e a genitália).
  3. Exame de toque retal: identifica alterações na próstata e no reto através do tato.
  4. Anuscopia: serve para identificar hemorróidas ou fissuras anais.
  5. Retossigmoidoscopia: identifica problemas no reto e na parte inferior do intestino grosso.

A manutenção da saúde 

Foto colorida de uma mesa de médico vista de cima. Computador, prancheta, estetoscópio, óculos, seringa, máscara e cartelas de comprimidos.

Assim como é importante cuidar do coração, realizar a manutenção da saúde bucal ou verificar as taxas de colesterol no sangue, também é muito importante cuidar do organismo através de consultas de coloproctologia.

Você não pode se privar dos cuidados com a sua saúde. A sua qualidade de vida é muito importante.

Por este motivo, marque a sua consulta! Não precisa ter medo, é muito mais simples do que você imagina.

 

Quer saber mais sobre o assunto? Acompanhe o meu blog! É só colocar o seu e-mail no campo de newsletter para receber todos os artigos em primeira mão!

Esse post foi útil pra você? Ajudou a desmistificar a consulta com a coloproctologista? Aproveite para deixar um comentário!

Sobre o(a) autor(a): Dra. Camila Medeiros

Dra. Camila Medeiros
Dra. Camilla Medeiros é médica coloproctologista em Natal/RN com especialização em Saúde Intestinal e Câncer de Cólon.

Um comentário

  1. […] Se você ainda não possui o hábito de realizar consultas preventivas, vale a pena dar uma olhada nesse texto: “Como é a consulta com a coloproctologista?” […]

Artigos relacionados

Voltar para artigos