Uma reclamação constante nos consultórios dos coloproctologistas é o sangramento anal. Esse problema pode ter diversas causas e todas devem ser investigadas para a realização de um diagnóstico acertado.

A hemorroida, a fissura anal, a fístula anorretal, doenças inflamatórias intestinais como a retocolite ulcerativa, a doença de Chron, a doença diverticular e até mesmo o câncer de intestino são exemplos de doenças proctológicas e intestinais que podem apresentar o sangramento anal como sintoma.

A maioria dos casos de sangramento anal decorre de doenças mais simples, como hemorroida, fissura ou fístula.

Porém, a diferenciação entre os casos deve ser feita por um médico, que deve avaliar clinicamente o quadro, podendo solicitar diversos exames, entre eles os de imagens do intestino e da região anal. Então, se você apresenta este sintoma ou qualquer outra alteração no trato intestinal, procure ajuda médica.

 

Qual a diferença entre hemorroida, fissura e fístula?

 

Hemorroidas são veias inchadas e inflamadas no reto e no ânus que causam desconforto e sangramento. A doença é geralmente causada por esforço durante as evacuações. Ela é geralmente tratada com mudanças na alimentação e com pomadas, mas dependendo da gravidade se faz necessário procedimentos cirúrgicos.

A fissura anal é uma pequena ferida que surge no ânus, como uma espécie de corte na região, provocada pela passagem de fezes endurecidas. O tratamento requer mudança de hábitos alimentares e uso de pomadas.

Já a fístula tem relação com as glândulas que produzem secreção perto da borda do ânus, dentro do canal anal. Essas glândulas podem entupir e formar um abcesso (ferida parecida com um furúnculo), que pode estourar para a pele do lado de fora do ânus, gerando dor e desconforto, coceira, sangramento e vazamento de pus. O tratamento dessa doença requer cirurgia.

O que fazer para prevenir essas doenças?

Em geral, para diminuir as chances de surgimento e avanço dessas doenças, os especialistas recomendam medidas que reduzam a constipação e o esforço ao evacuar.

Portanto, é importante manter uma dieta rica em líquidos e fibras, o que inclui verduras, legumes e alimentos integrais. Também é essencial fazer a higienização correta do ânus com água e sabão, em vez de papel higiênico.

Ficou alguma dúvida? Deixe a sua pergunta nos comentários ou entre em contato!

Siga também o meu perfil no Instagram para ver mais conteúdos e informações úteis para a sua saúde.

Até o próximo!

 

Sobre o(a) autor(a): Dra. Camila Medeiros

Dra. Camila Medeiros
Dra. Camilla Medeiros é médica coloproctologista em Natal/RN com especialização em Saúde Intestinal e Câncer de Cólon.

Artigos relacionados

Voltar para artigos